Pode até ser que, antigamente, da porta pra dentro da empresa só entrava o profissional. Hoje, ainda bem!, essa separação é impensável. Desenvolver inteligência emocional pode, inclusive, ser um fator que colabora nos objetivos e metas da carreira. Mas e aí? Se antes a gente tentava esconder o máximo possível esse lado “pessoal”, como, agora, desenvolvê-lo no dia a dia de trabalho, a nosso favor? Chamamos Márcio Libar e Andreia Bernardo para bater esse papo com a gente.