O que é e como essa soft skill vai transformar você como profissional e elevar o seu ambiente de trabalho a outro nível

 

Muita gente até arrepia quando escuta a palavra relacionamento, e não importa se é pessoal, profissional, interpessoal. Desde quando nos entendemos como um ser habitante desse mundo louco, criamos laços, fortes ou não, duradouros ou nem tanto, mas tudo é relacionamento. E se misturarmos as relações com a inteligência, o que sai desse mix?

Isso é o que vamos te contar neste post, vem caminhando com a gente, num relacionamento fluido, para descobrir como a inteligência relacional é fundamental na sua vida e no dia a dia da sua empresa.

Prepare-se: você vai se surpreender!

 

Diga-me como relacionas e te direi quem és

 

Tem hora que só uma frase clichê traz nossa atenção para um determinado tópico, e com a inteligência relacional não é diferente. Lembra quando sua mãe costumava dizer para se preocupar com boas companhias, má influências e todo aquele discursinho que a gente gostava de ignorar.

Adivinha?

Era tudo verdade (mãe, meu bem, sabe de todas as coisas, não ouse duvidar!)!

Sei que você parou para voltar um pouco no tempo, refletir é sempre bom para aprender com erros e acertos. Mas vem aqui, para sua vida adulta, e conte para nós: você sabia que a inteligência relacional é uma habilidade? 

Sim, esse termo surgiu nos anos 80, quando a inteligência, tida como algo absoluto e difícil de ser definido, ganhou outros vieses, entre eles o emocional e o relacional.

Aqui na SPUTNiK, estamos falando de soft skills já tem tempos. E sabe por quê? Porque essas são as habilidades que o futuro da sua empresa pede hoje. E os profissionais que você, como empresa, quer encontrar e reter estão em busca de organizações que não só entendam aonde eles querem chegar, mas ofereçam a eles o caminho para desembarcar nesse lugar. A educação disruptiva, por exemplo, é algo que segue transformando empresas ao redor do mundo, e com certeza a sua não quer ficar de fora dessa revolução que já começou.

Então…

WTF is inteligência relacional?

 

O próprio nome já revela um pouco do que se trata: nada mais é do que a sua capacidade de lidar, primeiro, consigo mesmo, para depois lidar com o outro. Da profunda relação intrapessoal que você tem que ter com o seu eu interior até a interpessoal, que é quando você estabelece contato, afeto, trocas com as outras pessoas, tudo é inteligência relacional. E a melhor maneira de explicar o conceito mais amplo disso é começar, como a gente disse lá no título, exatamente pela parte mais importante dessa história: você e seu autoconhecimento. E tem muita coisa que nem os melhores livros de autoajuda vão te ajudar a descobrir, confia na gente!

Olhar para si mesmo não é uma das tarefas maaaais simples que existem, principalmente hoje em dia com tudo acontecendo ao mesmo tempo agora, e a gente não tem nem tempo de processar as coisas direito. Quem dirá olhar para o que somos, nossas necessidades, anseios e inquietações. Estamos muito ocupados olhando para o lado e esquecemos que muitas das respostas mora bem aí, dentro de você. Não é para ser poético não, é a mais pura verdade, e falamos isso porque é o autoconhecimento que vai te levar a aprimorar as suas relações com o mundo aqui fora.

Transformação interior para mudar o lado exterior

 

Quando você se conhece, isso vai além de resolver problemas e controlar emoções. Isso tem a ver com construir a sua jornada individual baseado no que você acredita e quer encontrar as ferramentas que vão te guiar ao sucesso profissional e pessoal. Vale lembrar do Lifelong Learning (temos uma série bem bacana sobre o tema aqui) porque é esse aprendizado que você capta ao longo da vida que vai ser um norte para o autoconhecimento, junto com o seu repertório, valores, princípios e tudo mais que carrega consigo aí nessa máquina que chamamos de cérebro.

Por falar em futuro, no âmbito do autoconhecimento, ele se mostra como algo abstrato, tipo “o que eu vou ser, onde eu vou visitar, quem eu vou conhecer”, mas se você parar para pensar, isso tudo está acontecendo no seu presente também, e você viveu isso no passado. Aliás, você está acumulando tantas experiências nessa caminhada que até perde a conta, mas a partir do instante em que percebe que tudo o que passou e está passando vai te levar a um lugar bem melhor, tudo o que vem depois disso é evolução. Esse é o autoconhecimento que temos que correr atrás, com a maturidade que conquistamos em cada fase da vida, no que nos tornamos para nós mesmos e que vai refletir no outro.

O crescimento pessoal passa pelo reconhecimento de nossos defeitos e pontos fortes, o que nos bloqueia e o que nos liberta, o que queremos compartilhar e o que guardamos a sete chaves. O autoconhecimento, que é um tipo de inteligência se você avaliar nesse sentido, é fundamental, por exemplo, se você ocupa um cargo de liderança. Quem consegue inspirar e ser exemplo se não está atento às suas próprias limitações? Liderar é olhar para si através do outro, é se relacionar buscando o benefício mútuo e, claro, o aprendizado coletivo. Quando você se conhece, vai ser muito mais prazeroso se colocar como um guia para sua equipe, nessa dança da inteligência relacional. A cada passo, algo muda de lugar, alguém se transforma, e todo mundo aprende junto.

Status: em um relacionamento sério com o outro

 

Pronto. Você chegou no ponto em que se conhece e reconhece suas qualidades e o que ainda precisa ser melhorado. Vencendo a fase do autoconhecimento, você se encontra com o outro, e esse match tem que ser perfeito.

“Ahhh mas nenhum relacionamento é perfeito, para com isso!”

 

A gente sabe disso, mas quando falamos perfeito estamos nos referindo não a ser sem defeitos, não é nada disso. Um match perfeito entre você e seu colega de trabalho, você e seu líder, você e sua equipe, você e sua família tem muitos pontos fracos, mas tem ainda mais pontos fortes. A inteligência relacional é saudável quando um respeita o outro, cada um sabe seu espaço e onde os espaços se cruzam. Se o relacionamento é benéfico, ambos os lados crescem e evoluem juntos. Somos bem diferentes, isso é fato (ainda bem!), mas para a relação funcionar, quem disse que as diferenças precisam ser extintas?

Vamos, agora, dar uma olhadinha em aspectos bem importantes da inteligência relacional, competências e benefícios que vão transformar a sua jornada com as demais pessoas ao redor:

Ouvir e ser ouvido

 

A comunicação é tudo quando o assunto é relacionamento. Na verdade, estar aberto a ouvir mais do que falar, mas também ser ouvido quando necessário, é como criamos uma conexão forte e consistente. Se as pessoas não se entendem, elas se afastam, não conseguem equilibrar a tomada de decisões, geram conflitos. Aqui, queremos gerar empatia e identificação, afinal pessoas dotadas de inteligência relacional contribuem para um ambiente muito mais propício ao crescimento.

Melhoria do clima organizacional

 

Os profissionais que se conhecem vão, naturalmente, ter a habilidade de desenvolver relacionamentos melhores, e isso é muito positivo para o ambiente de trabalho, para o clima e cultura organizacionais. O resultado? Muito mais qualidade de vida para todos!

Pronto para liderar

 

Eu me conheço e, assim, enxergo o outro em sua essência. Falamos disso bem ali em cima, mas vale frisar aqui de novo: o líder que tem boas habilidades relacionais vai extrair o melhor de cada um que faz parte do seu time, enxergando ali não competidores, mas aliados no dia a dia de trabalho. A liderança relacional sabe gerir situações de conflito, incentiva a participação dos colaboradores em todas as decisões, motiva as pessoas a serem produtivas e muito mais eficientes. Ah, e ainda tem a melhoria na capacidade de negociação por conhecer mais a si mesmo e ao outro!

Match entre relacional e emocional

 

Se tem inteligência relacional, o campo está aberto para o outro importante viés, a inteligência emocional. Funciona da seguinte forma: líderes e colaboradores que aprimoram o autoconhecimento consegue não só controlar suas emoções e sentimentos, mas também se adaptar ao ambiente à sua volta, transformando tudo em aspectos que levam à evolução coletiva. Ah, quando combinamos as duas formas de inteligência, não há problema ou obstáculo que assuste, mas sim desafiam os indivíduos a serem cada vez melhores.

Enxergar valor nas diferenças

 

Temos medo das diferenças, e muitas vezes (ou quase sempre), isso afeta os nossos relacionamentos. Em um ambiente de trabalho onde a inteligência relacional é prioridade, as diferenças são combustível para a interação e aprendizado coletivo. É lindo olhar para a diferença do outro sob o olhar da troca: a minha bagagem de experiências é diferente da sua, e o que cada um traz para a mesa é enriquecedor.

A sua empresa está dando importantes passos para chegar ao futuro preparada para o que der e vier. Segue acompanhando o nosso blog para ficar por dentro de temas essenciais nessa jornada rumo à evolução. Já falamos sobre a importância das soft skills, sobre como inaugurar a sua Universidade Corporativa (linkar com tag dos posts que vão entrar) e vem muito mais por aí. Afinal, a SPUTNiK está do seu lado para provocar mudanças no universo corporativo através do que realmente faz sentido para sua empresa. Fica, está sendo transformador!