A nova realidade pede novas formas de trabalhar e enxergar processos dentro de uma empresa. Aonde isso vai te levar? Rumo ao futuro promissor!

 

É bem verdade: o futuro já começou, mas isso não significa que todas as empresas estejam preparadas para lidar com o que está por vir. Aqui na SPUTNiK, a gente acredita que estudar as mudanças, que acontecem na velocidade da luz, em todos os âmbitos e, principalmente, no ambiente organizacional, é a chave para deixar as previsões de lado e começar a desenhar o amanhã da sua empresa agora.

Neste post, vamos te mostrar como tirar a cultura da inovação do papel: “Implantar uma cultura de inovação é abrir espaço para novas ideias, e não importa se, no início, esses insights parecerem diferentões demais ou muito intangíveis: mesmo que a nova ideia não seja aplicada na sua forma original, algo novo pode ser extraído dela. A implantação dessas ideias precisam ser um objetivo em comum para colaboradores e empresa, com os gestores e líderes sendo o fio condutor para fazer tudo acontecer.”

E, então, você e seus colaboradores estão alinhados quando o assunto é a cultura da inovação?

O que é a cultura da inovação? 

Boa pergunta! E não tem nada de errado se a sua empresa ainda não está antenada nesse conceito, afinal nunca é tarde para aprender, certo?! Esse termo vem sido bastante usado independente do segmento de mercado em questão porque, hoje, ainda mais na fase que vai se iniciar pós-pandemia, as empresas buscam ser reconhecidas por sua capacidade de inovação para se diferenciarem e, assim, alcançar o sucesso desejado. Todo mundo quer se destacar por ter encontrado soluções ousadas para velhos e novos obstáculos, ainda mais se forem eventos inesperados, o que pode colocar a sua empresa beeeem à frente dos concorrentes.

Falamos em nosso último post sobre gestão de mudanças, outro conceito que está intimamente ligado ao de cultura de inovação, que é literalmente o que o nome sugere: a implementação do novo, de formas diferenciadas de se trabalhar e de enxergar os processos internos e externos de uma organização. E isso é ir além do que apenas ter boas ideias e colocá-las em prática, é desenvolver estratégias e processos inovadores que serão aplicados em todas as áreas da empresa e, claro, vão refletir positivamente do lado de fora para seus stakeholders, consumidores, parceiros e competidores.

No ambiente de trabalho, os colaboradores podem entender essa cultura como o abandono daqueles comportamentos e regras que costumavam impedir o desenvolvimento da empresa e a produtividade. Sabe quando a gente costuma dizer “tal marca é antiquada, tal organização tem um mindset tão tradicional”? Estamos nos referindo a quem NÃO sugere melhorias e mudanças, a quem parou no tempo e se fechou para o que é muito promissor. A cultura da inovação vai ter como alicerce uma visão ampliada não só do que o futuro reserva, mas o que está sendo feito no presente antes de alcançar esse lugar. Aliás, avaliar o que foi feito no passado é também um passo importante para identificar o que precisa ser transformado para melhor.

Inovação no DNA 

Mais uma vez, está tudo bem se a sua empresa não tinha esse approach inovador, o que não está certo é ela continuar na mesmice de um terreno que não é fértil em ideias e soluções, com processos engessados e muito conservadores. A cultura da inovação tem tudo a ver foco e alinhamento com o que vai conduzir à evolução além dos padrões conhecidos e já obsoletos.

Ter a inovação no DNA da empresa pode ser uma construção. Se a sua empresa não nasceu criativa e inovadora, ela pode se tornar uma, assim como os profissionais, que não param de ampliar seus repertórios de experiências e habilidades no que chamamos de Lifelong Learning. Assim como as pessoas, as empresas também estão propícias às mudanças se elas estiverem abertas para tal propósito. E, adivinha? Toda empresa, por mais moderna que seja, é construída por pessoas. Ou seja, o crescimento inovador acontece em conjunto, é uma visão coletiva e colaborativa, e é isso que vai deixar todo mundo inquieto em busca de mais e mais inovações.

Processos do futuro

Implantar uma cultura de inovação é abrir espaço para novas ideias, e não importa se, no início, esses insights parecerem diferentões demais ou muito intangíveis: mesmo que a nova ideia não seja aplicada na sua forma original, algo novo pode ser extraído dela. A implantação dessas ideias precisam ser um objetivo em comum para colaboradores e empresa, com os gestores e líderes sendo o fio condutor para fazer tudo acontecer.

Mas como tirar a inovação do papel direto para a realidade da organização? Vem com a gente descobrir:

1. Cultura open-minded

É o que acabamos de mencionar: todo mundo precisa estar aberto para abraçar o novo com todos os benefícios que ele traz e, claro, com os diversos desafios que vêm junto com a inovação. Estar de braços abertos é dar espaço para as ideias proliferarem, compartilhada de um jeito que todos entendam e concordam. A inovação precisa de um ambiente propício para acontecer, e os padrões arcaicos não são, nem de longe, parte do terreno que precisa ser cultivado aí.

2. Se liga!

Ninguém consegue inovar se não estiver antenado ao que de diferente e promissor está acontecendo ao redor, como as tendências do mercado e os principais acontecimentos que podem trazer impactos positivos para a nova cultura. Mais do que isso, grandes talentos podem estar “escondidos” dentro da própria empresa. Lembra de quando a SPUTNiK fala sobre a importância de criar a Universidade Corporativa que a nova realidade da sua empresa merece? Pois é, esse é um dos caminhos pelos quais vocês podem seguir – empresa e colaboradores – para trocar experiências, desbravar novos conhecimentos e despertar nos talentos que você já possui a faísca da inovação!

3. Adaptar é preciso

Muita gente pode pensar que ser uma empresa moderna é perder as rédeas do ambiente e deixar tudo rolar sem ter nenhuma regra ou direcionamento. Não, não é isso! Na cultura da inovação, regras e procedimentos são muito bem-vindos (e necessários!), porém dentro desse novo mindset de mudanças, de olhar para frente, de se diferenciar com consistência e estratégias desafiadoras. Quando o seu time está ciente e ajuda a criar tais regras, tudo fica muito mais fluido e confortável.

4. Colaboração é tudo

A gente vem batendo na tecla da criação coletiva há bastante tempo porque é “verdade esse bilete”: time que cresce junto, comemora o sucesso de mãos dadas. A cultura da inovação vai acontecer no ambiente onde as pessoas compartilham dos mesmos objetivos, sabem a importância de se trabalhar em equipe, aprendendo e errando e evoluindo em conjunto. Não tem como profissionais de várias áreas, unindo ideias e habilidades diferentes, seguirem no rumo errado. Os profissionais precisam ter autonomia porque, em empresas do futuro, não existe mais aquela hierarquia vertical onde as ordens “vêm de cima para baixo”: mostrar que você acredita no potencial deles é o que vai gerar a confiança que vocês precisam para criar o cenário perfeito para a inovação. Ninguém inova sozinho, nem chega a lugar nenhum se não unir forças, soft e hard skills, vivências e tudo o mais que puder contribuir para que a mudança seja real e efetiva.

5. Um dia de cada vez

A inovação é um processo contínuo, acontece todo dia, tomando o tempo necessário para implantar novas táticas, colocar times trabalhando lado a lado, acompanhando e monitorando o andamento do que está sendo feito. É fundamental calcular resultados numéricos e mensurar valores intangíveis, como insights apresentados e testados. A pressa, aqui, é definitivamente uma grande inimiga da perfeição. Uma nova ideia pode surgir a cada nova tarefa, e quando todos caminham na mesma direção, vão encontrar só coisas boas nessa jornada.

6. Foco foco foco

A cultura da inovação pede profissionais focados e alinhados, com uma visão ampla e clara do que se pretende realizar. Competências, comportamentos, criatividade, tudo vai impulsionar a mudança, motivando os indivíduos e sendo um combustível para a explosão de ideias inovadoras. Reconhecer e premiar esforços, por exemplo, é uma maneira interessante de incentivar um ciclo permanente de inovações.

7. Sem medo de errar

Todo mundo aprende com os erros, não só na vida pessoal, mas muito na carreira profissional também. Se decidiu inovar, isso significa que sua empresa tem coragem de enfrentar o que der e vier, e nem sempre as escolhas serão certeiras. O importante é saber que sempre é possível corrigir e recuperar os resultados, afinal ser ousado requer prática, e prática requer escorregões para que a gente possa levantar ainda mais fortes!

8. Inovar é sinônimo de ganhar

A empresa que investe na cultura de inovação aumenta a produtividade, eleva seu nível de excelência e, com processos mais ousados e eficientes, a qualidade do que se vende fica incomparável. Assim, inovar ajuda a reduzir custos através do aumento da excelência, da melhoria da imagem da marca frente ao mercado e consumidores, além de levar os lucros para um outro nível: lá no topo!

Agora que você está por dentro de como a inovação pode favorecer o lugar que sua empresa quer estar, convoque sua equipe e convide os seus profissionais a investirem na mudança junto com você, nesse novo ambiente democrático e criativo, sempre aberto às melhores soluções. A cultura da inovação é aquele ingrediente que faltava para que sua empresa seja mais flexível, produtiva e muito mais preparada para as grandes oportunidades que vêm por aí. 

Está disposto a inovar? Aposte em processos que têm tudo a ver com a nova realidade que sua empresa quer viver, e prepare-se para liderar o mercado com ideias brilhantes e profissionais mais brilhantes ainda.