No team building ganha ainda mais força nessa nova realidade porque as equipes precisam estar, mesmo que distantes, mais unidas do que nunca.

 

Estamos (re)aprendendo a fazer quase tudo nessa era pós-quarentena. Estudar à distância, se reunir com olho-no-olho virtual e trabalhar remotamente. Se adaptar se tornou uma nova soft skill para profissionais e para as próprias empresas. Mesmo com cada um no seu home office, manter os times unidos é fundamental não só para elevar a produtividade, como para não deixar a troca entre as pessoas ficar prejudicada. Como trabalhar os processos de integração em tempos de isolamento social? É sobre isso que vamos conversar neste post sobre team building!

Homem sentado com notebook em cima da mesa, realizando trabalho remoto

O que você vai encontrar a seguir:

  • Team building para equipes remotas: juntos mesmo à distância
  • Tecnologia integrando os times em home office
  • (Un)lockdown now!
  • O que priorizar na adaptação do team building para home office
  • Onboarding é o ponto de partida no team building remoto
  • Motivação a todo vapor no home office
  • Dicas de team building para o trabalho remoto
  • Não dê espaço para os erros
  • Encarando os novos desafios do home office com team building

 

Team building para equipes remotas: juntos mesmo à distância

Não tem sido fácil para ninguém. Esse isolamento social é algo que a gente não conhecia (nem muito menos esperava!). Estar distante de amigos, família e colegas de trabalho tem sido uma nova jornada: cada um está descobrindo, do seu jeito, como lidar com tudo isso.

E nas empresas, que passaram a trabalhar no esquema de home office, o team building é o que vai aproximar os profissionais à distância. Como? Vem descobrir!

Abordamos a gestão de times remotos em um post recente, o que é a chave para manter as pessoas trabalhando na mesma sintonia de antes, sem perder a facilidade de interação, a eficiência do trabalho coletivo e, claro, os bons resultados.

Em casa, os profissionais e os líderes das equipes estão (re)descobrindo a organização pessoal e a gestão do tempo. Ah, a Mariana Achutti, Founder e CEO da SPUTNiK, dá umas dicas bem bacanas de autogestão para esse novo cenário, vale dar o play no vídeo antes de seguir para as próximas dicas!

 

Tecnologia integrando os times em home office

Antes, todos estavam reunidos no mesmo ambiente. Agora, cada um tem seu próprio office – que fica localizado bem naquela linha tênue entre a vida pessoal e a profissional (cuidado para não misturar tudo viu).

Dessa forma, a autodisciplina passa a ser ainda mais parte da rotina de trabalho. Por falar nela, no momento remoto em que vivemos, aquela rotina que conhecíamos sofreu algumas mudanças importantes.

Os times estão fisicamente separados, mas a tecnologia entra mais do que nunca para conectar de todas as formas. E é ela que tem um papel crucial no team building à distância para não prejudicar a integração que foi construída tão bem no seu time.

Hoje, a gestão tem um valor potencializado para trazer as pessoas para perto, através de estratégias e atividades revigorantes que trazem equilíbrio, incentivam a interação, promovem o bem-estar e deixam as relações mais fortes. Muito pode ser feito, e o efeito positivo é recompensador!

 

(Un)lockdown now!

O team building tem tudo a ver com a eficiência com a qual a sua equipe trabalha junto. A importância de manter uma equipe diversa e excepcional está justamente na troca de experiências entre as pessoas. E isso no trabalho remoto é um desafio, concorda?!

Os profissionais vão continuar concentrados na direção certa a seguir se estiverem alinhados com os objetivos corporativos e com a nova dinâmica de trabalho coletivo.

 

O que priorizar na adaptação do team building para home office

Para manter o espírito de equipe, algumas atividades de team building podem (e devem!) ser adaptadas para funcionar remotamente, sempre priorizando:

O engajamento: encontre atividades que ajudem a quebrar o gelo virtual para dar um gás no envolvimento através das telas dos computadores.

A diversão: se no ambiente de trabalho todos estavam tão entrosados, no ambiente digital novas narrativas e jogos descontraídos facilitam a integração da diversão no novo contexto.

O senso de equipe: assim como na distribuição de tarefas e responsabilidades, no team building remoto as regras do jogo são as mesmas. Clareza na comunicação, funções bem estabelecidas e resultados em grupo são fatores-campeões.

A comunicação: é fundamental reunir todos os recursos existentes e sincronizar os elementos da equipe utilizando a comunicação como uma poderosa ferramenta de união, de um jeito eficiente e eficaz como acontecia presencialmente.

A aprendizagem coletiva: se a educação disruptiva já faz parte da rotina do seu time, a aprendizagem não vai ser perdida no processo remoto, e os gestores podem incluir o ensino como base do team building em atividades aplicáveis ao novo contexto de trabalho. Garantir que a experiência faça sentido na realidade dos participantes e proporcione reflexões individuais e coletivas é lindo, e o apoio de mentores qualificados aumenta a compreensão e execução das estratégias.

O compromisso: o seu time estava comprometido trabalhando lado a lado, e o team building vai ajudar a manter essa vibe mesmo estando distantes através do estímulo ao envolvimento emocional e motivacional. Isso é o que vai guiar todo mundo na superação de desafios fora da tão temida zona de conforto. Experiências virtuais que contemplam esse esforço extra de cada um em prol do grupo é o segredo para reforçar o compromisso.

 

Onboarding é o ponto de partida no team building remoto

A gente chama de onboarding o processo de entrosamento e adaptação de um novo colaborador, mas no team building remoto, o onboarding ganha novos vieses: o trabalho à distância é um novo cenário para quase todo mundo, então é hora do time inteiro se juntar para criar estratégias de como tudo isso vai funcionar, o que inclui as atividades extras e a educação in company.

Sua equipe vai precisar se familiarizar com o compartilhamento de necessidades e expectativas online, com as reuniões mais frequentes, com o aumento de responsabilidades.

Talvez esse seja o momento de dar uma revisada na missão e valores da empresa e aonde ela quer chegar junto com os profissionais, e isso vai ser bacana também para aproximar os novos colaboradores de quem já fazia parte da organização.

Assim, aquela combinação maravilhosa de habilidades que existia pessoalmente vai continuar a ser um temperinho para o trabalho remoto fluir melhor.

 

Motivação a todo vapor no home office

Pesquisas recentes nos Estados Unidos comprovaram que quase metade dos profissionais que trabalhavam em home office, pelo menos dois dias por semana, se mostravam mais produtivos.

Agora que a maioria dos profissionais estão se adaptando a essa nova realidade, essa produtividade coletiva é o que todo mundo busca. Mas é preciso preparo para o time não se desconectar e a motivação permanecer.

Crie momentos virtuais que se tornem parte da rotina em grupo, vale abusar da criatividade para implantar soluções que têm a cara da sua equipe, dá uma olhada.

 

Dicas de team building para o trabalho remoto

1. Comece o dia juntos
Marquem um horário que seja bom para todos, inicie uma chamada de vídeo em grupo e tomem café juntos. Pode conversar de trabalho, sobre a família fazendo parte do home office, trocar novos conhecimentos, vale tudo o que vai deixar o time confortável e entrosado.

2. Reinvente reuniões
Essa tem sido a reclamação de muitos dos profissionais sobre o home office. Reuniões infinitas e intermináveis, o que pode, ao invés de otimizar a rotina, destruir a produtividade.

A gestão pode implantar formas diferentes de se reunir, sugerir que os colaboradores saiam de casa e façam as calls no jardim ou até mesmo no parque próximo. Além disso, também é possível criar um momento pós-reunião para que se possa falar de temas relacionados ao que foi discutido mais livremente.

3. Como está sendo para você?
Mais uma vez, não está sendo fácil para ninguém. Então o cotidiano remoto pode ficar mais leve se a equipe tiver momentos para bater um papo descontraído, para compartilhar as dores e alegrias de não poder ir para o escritório.

Dessa vez, deixar o trabalho de lado é saudável, e o profissional se sente importante e valorizado pela empresa, cada vez mais próximo do seu time.

4. Hora do jogo
Se não tem mais como jogar no escritório para aliviar a pressão e o estresse, encontrem jogos online que as equipes possam interagir e que estejam, de alguma forma, relacionados ao trabalho. É o que a gente chama de gameficação na metodologia híbrida e multidisciplinar da SPUTNiK e super funciona!

5. Happy hour virtual
Quem não sente falta de tomar aquele drink depois do expediente está mentindo! Líderes, não deixem o happy hour morrer no team building remoto: convide os profissionais a fecharem as abas de trabalho, pegar a cervejinha na geladeira e descontrair juntos.

 

Não dê espaço para os erros

A gestão de times remotos é um desafio, e o team building adaptado para esse momento pode transformar erros antigos em novas soluções.

Um dos maiores erros é achar que o que funcionava presencialmente faz sentido no home office. Muita coisa precisa ser editada e, embora a produtividade aumente com o trabalho remoto, para muitos de nós essa adaptação leva tempo.

Criar metas intangíveis e achar que os profissionais estão disponíveis 24h por dia pode desgovernar a gestão do team building e desmotivar os colaboradores.

Outro erro grave é a má gestão do tempo, o que vai causar um desgaste enorme. Mostrar serviço trabalhando em home office não é trabalhar sem parar, mas manter a execução das tarefas num pace que funciona para cada um e favorece a velocidade do grupo.

Essa gestão está relacionada também com o diálogo, que precisa ser ainda mais direto e transparente para ser efetivo. Entra aqui, ainda, a importância do feedback nesse team building remoto: ouvir os colaboradores, com suas demandas e insatisfações, é o que deixa essa equipe mais unida.

 

Encarando os novos desafios do home office com team building

Uma pesquisa da Buffer sobre o trabalho remoto revelou que, além da colaboração e comunicação, a solidão dos profissionais é o que torna esse novo cenário um pouco complicado. Estar no home office, mesmo tendo a família por perto, é um isolamento que priva o colaborador do contato diário e próximo com os colegas e líderes.

A pesquisa também traz uma boa notícia: 98% das pessoas quer, mesmo que algumas vezes na semana, continuar trabalhando de home office. Além disso, 97% recomendam esse tipo de trabalho para os outros.

“O desenvolvimento de equipes virtuais eficazes vai muito além do problema técnico de vinculá-las. Embora a equipe virtual apresente uma série de novos desafios, também apresenta o potencial para recriar a forma como o trabalho é feito. Recriar equipes no modo virtual requer a resolução dos desafios e oportunidades inerentes à tecnologia de equipe virtual, bem como o desenvolvimento de uma nova sociologia de equipe.”

Virtual teams: technology and the workplace of the future

E como isso impacta o team building? Esses números só provam que as empresas estão no caminho certo em se adaptarem para manter o trabalho remoto como uma premissa básica, sem deixar a importância do team building desaparecer.

A pesquisa aborda pontos positivos e negativos do trabalho remoto. Por um lado, a flexibilidade de schedule, a liberdade para trabalhar de qualquer lugar, o fato de não ter que se locomover no trânsito caótico e de poder ter mais tempo com a família. Por outro, a solidão, a dificuldade de se comunicar virtualmente e de manter a motivação.

A empresa precisa se concentrar nesses desafios na hora de planejar novas estratégias de team building à distância.

Precisa de ajuda nesse novo processo? A SPUTNiK quer fazer parte do seu time!