A nova configuração das equipes nas empresas do futuro é estrategicamente modelada para alcançar altos níveis de produtividade e performance. Monte seu squad e corra pro abraço!

 

Um time multidisciplinar. A pegada hoje é reunir pessoas diversas, com habilidades que se complementam, em uma troca construtiva e híbrida de conhecimento, experiências e inspiração. Todas as “fórmulas” antigas para se criar uma equipe de sucesso são atualizadas quando as empresas decidem inovar formando verdadeiros squads, prontos para enfrentar qualquer desafio e com um objetivo em comum: extrair o melhor de cada profissional-herói na batalha diária do mercado para celebrar as vitórias juntos. Quer saber como formar o seu squad invencível? Descubra agora neste post!                                                                                              

Dois homens pilotando avião durante o dia

O que você vai ler neste post:

  • Um squad que avista o futuro
  • Esquadrão de produtividade
  • Spotify: uma estrutura organizacional imbatível
  • Comunicação sem enrolação!
  • Uma rebelião contra a mesmice
  • A falha que leva à perfeição
  • Desperte o melhor do seu squad

 

Um squad que avista o futuro 

Uma empresa é movida por seus colaboradores, tendo a conexão, a colaboração e a empatia como ingredientes principais dessa receitinha potente para não só cumprir os objetivos, mas fazer isso com maestria. No novo mindset corporativo, as mudanças apontam para o futuro, e inovar é saber colocar as pessoas certas nos lugares certos, aproveitando ao máximo o talento de cada colaborador para otimizar a produtividade e, claro, os resultados. Com origem nos modelos de startup, o conceito de squad surgiu para transformar a gestão de pessoas.

Formar um esquadrão invencível é dividir sua equipe em pequenos grupos multidisciplinares, onde cada integrante tem a autonomia que precisa para fazer acontecer. Sabendo as prioridades e exatamente aonde se quer chegar, cada squad tem um líder que luta junto para vencer as batalhas, mas o segredo do pelotão multidisciplinar é a autogestão. O que isso significa? A liderança atua como uma ponte entre as pessoas e a execução das tarefas com foco na descoberta das soluções mais adequadas, e aquela antiga divisão entre departamentos deixa de existir para criar um espaço colaborativo. A cada novo projeto, um novo squad pode ser formado de acordo com as demandas, e quando esses heróis se juntam, os super-poderes são ainda mais potencializados.

 

Esquadrão de produtividade

No seu esquad, o caminho que leva à alta performance é aquele que prioriza uma comunicação direta e eficaz. Quando os colaboradores se entendem e sabem o que vão fazer para chegar ao topo, o trabalho fica muito mais fluido e produtivo. Independente de qual área cada um dos membros veio, o importante é que todos estejam em sintonia com os objetivos em comum, e a expertise diversa determine o ritmo do trabalho porque as diferentes especialidades, quando combinadas, podem trazer resultados surpreendentes. Como nos filmes, os squads se formam para cumprir uma missão, e no caso das empresas, isso significa agregar habilidades diferentes que se complementam em uma troca sensacional.

Lembra quando a gente bateu um papo sobre ambientes colaborativos? Pois é, a essência do squad está exatamente aí: em um espaço propício às boas ideias, com cada um desempenhando seu papel decisivo em um trabalho feita a muitas mãos, com total autonomia para definir prioridades e tomar decisões. Afinal colaborar é se adaptar junto a cenários diversos que pedem soluções inovadoras. Quando o assunto é montar um squad produtivo, muitos fatores estão diretamente interligados: a colaboração, o clima, a cultura organizacional, tudo influencia na hora de escolher quem trabalha com quem. O mais interessante disso tudo? A formação de um squad é uma jornada em progresso, que vai se adaptando e se transformando à medida em que as tarefas são realizadas, metas são atingidas e novos objetivos vão surgindo. Quer um exemplo de squad bem-sucedido? Vem com a gente entender como o Spotify colocou isso em prática em nosso próximo tópico!

 

Spotify: uma estrutura organizacional imbatível

O serviço de streaming musical mais utilizado no mundo também é referência quando a gente fala sobre squads de sucesso. Na verdade, o Spotify foi a empresa que popularizou esse conceito e serve de inspiração para as organizações globais. Esqueça estruturas de gerenciamento hierárquicas de cima para baixo cheias de burocracia. Em vez disso, o Spotify usa esquadrões para administrar seus negócios, formando times de 6 a 12 pessoas que funcionam como “mini-startups internas”. 

Esta é uma jornada em andamento, não uma jornada concluída, e há muitas variações de squad para squad. Sempre trabalhamos no equilíbrio entre ‘como as coisas deveriam’ e ‘como a gente quer que as coisas sejam’.”

– Andres Ivarsson – Spotify

No Spotify, cada squad senta junto combinando todas as habilidades e ferramentas necessárias para projetar, desenvolver, testar e liberar para produção. Eles são uma equipe auto-organizada e decidem sua própria maneira de trabalhar – alguns usam sprints do Scrum, alguns usam Kanban, outros usam uma combinação dessas abordagens e alguns constroem sua própria maneira ideal de trabalhar. Cada esquadrão tem uma missão de longo prazo e assume responsabilidade por diferentes partes da experiência do usuário. Como cada esquadrão mantém uma missão e uma parte do produto a ser desenvolvido por muito tempo, eles podem realmente se tornar especialistas nessa área. A maioria dos esquadrões tem um espaço físico de trabalho incrível, incluindo áreas de reuniões e áreas de bem-estar, onde quase todas as paredes são quadros brancos, prontos para se encherem de ideias geniais.

O Spotify cria também as tribos, uma coleção de esquadrões que trabalham em áreas relacionadas. A tribo pode ser vista como a ‘incubadora’ das mini-startups e tem um certo grau de liberdade e autonomia. Cada tribo tem um líder que é responsável por fornecer o melhor ambiente possível para os esquadrões. As tribos são projetadas para serem menores do que 150 pessoas, com um tamanho ideal de 40. Quando os grupos ficam muito grandes, eles começam a ver mais coisas como regras restritivas, burocracia, política, camadas extras de gerenciamento e outros desperdícios de tempo, energia e dinheiro.

 

Comunicação sem enrolação!

Tanto no Spotify quanto em outras empresas que conseguiram criar squads de sucesso, a comunicação é um ponto-chave: direta e sem rodeios para ser eficiente. Para que o trabalho flua, é preciso que as pessoas interajam entre si, colaborem, se encorajem mas sejam honestas e sinceras sobre o que está rolando. Ao invés de gerenciar o desempenho dos squads, uma melhor opção é implantar sessões no estilo coaching individual sobre o desempenho de cada profissional, tentando ser o mais claro possível na hora de dar os feedbacks.

Por falar em feedback, é muito importante incentivar esse monitoramento e avaliação de desempenho para manter a mentalidade de crescimento. Essas conversas podem ser focadas no desenvolvimento individual que retrata o talento de cada um dentro do desempenho do próprio squad, incluindo também recompensas como forma de motivação e reconhecimento. De acordo com o Spotify, a forma de trabalhar que eles criaram é única, mas não perfeita; eles cometem erros e sabem que não têm as respostas para todas as perguntas. Como a empresa cresce rapidamente, os novos desafios também surgem na mesma velocidade. Para eles, os maiores desafios são atrair as pessoas certas e aproveitar a inovação em todos os âmbitos, implantando a agilidade em uma cultura única, ao mesmo tempo que em que recebe novos funcionários para a equipe todos os meses (quase 100 novos profissionais por mês!) que vão se encaixando nos squads à medida em que se adaptam à cultura organizacional. Afinal, criar alinhamento, evitar burocracia e envolver os funcionários é uma luta constante para muitas organizações em rápido crescimento.

Conheça mais sobre os squads do Spotify aqui e aqui.

 

Uma rebelião contra a mesmice

Em empresas que crescem exponencialmente, seus squads se rebelam contra o que nada acrescenta. Manter a cultura organizacional viva enquanto se trabalha com os times multidisciplinares é um desafio para manter o crescimento constante, sem desperdiçar tempo com o que é desnecessário. Quando as organizações crescem a taxas exponenciais, elas tentam combater o caos aumentando (a contragosto) a burocracia, criando silos e destruindo os aspectos únicos que as tornaram bem-sucedidas em primeiro lugar. O resultado: locais de trabalho pouco inspiradores, nos quais as pessoas ficam entediadas, sem inspiração e sem envolvimento. E isso é exatamente o oposto que deve acontecer quando a sua empresa decide montar squads imbatíveis! Mas como vencer esse desafio?

Ainda usando o Spotify como inspiração, olha o que eles pregam como alicerces que sustentam a missão dessa metodologia inovadora:

  • Compartilhamento coletivo da missão: em uma pequena startup, é relativamente fácil alinhar todos os funcionários sobre o rumo da empresa através da interação diária com os líderes, discussões conjuntas sobre a direção da empresa ou o fato de que todos podem ver claramente sua contribuição pessoal para toda a operação. Mas quando as organizações começam a crescer, o alinhamento com a visão e o propósito da organização pode ficar perdido. Resultado: os funcionários não sabem para onde estão indo e perdem de vista o que é importante, é como jogar futebol sem saber onde o gol está! No Spotify, a visão e o propósito da empresa são atualizados regularmente e compartilhados com todos os colaboradores, que são convidados a participar desse diálogo construtivo e inovador.
  • A tecnologia como aliada: para garantir que todos estejam envolvidos e se sintam parte da família Spotify, as reuniões são transmitidas para todos ao mesmo tempo. Todos os funcionários em todo o mundo podem se conectar às reuniões e compartilhar suas dúvidas, desejos, comentários ou preocupações. Eles usam o poder da tecnologia como uma ferramenta de alinhamento e interação.
  • Equilíbrio entre cultura e habilidades: no Spotify, eles valorizam a cultura acima das habilidades porque acreditam que habilidades podem ser aprendidas e treinadas, mas se um colaborador não se adequa à cultura organizacional, fica difícil criar uma conexão. Para ter certeza de contratar para cultura, eles começam cada processo de recrutamento com uma entrevista cultural intensiva e especial para ter certeza de que há uma correspondência adequada entre os valores do candidato e a cultura inovadora da empresa.

 

A falha que leva à perfeição

A SPUTNiK vem batendo na tecla de que errar, dentro das empresas do futuro, significa aprendizado. Porque quanto mais rápido o seu squad erra, mais cedo vai conseguir identificar a falha e trabalhar para experimentar coisas novas. No Spotify não seria diferente: experimentar, tentar coisas nunca antes testadas e fracassar são steps essenciais da cultura, porque sem esses passos, não tem como progredir. É uma jornada contínua de lutas e desafios para os squads que, quando não sabem as respostas, ao invés de fingir que sabem, vão atrás das melhores soluções. O segredo aqui é aprender para se adaptar e otimizar constantemente a forma de trabalho. 

No curso SQUAD, por exemplo, a gente desenha cenários propícios para que os times multidisciplinares possam atuar em um mundo que muda o tempo todo com agilidade e assertividade. Ajudamos empresas a mudar o mindset de ‘apenas times’ para ‘squads potentes’ colocando a mão na massa para descobrir, dentro da realidade de cada organização, o que funciona e o que já está obsoleto. Porque contar com a configuração de squad é abrir as portas da empresa para inúmeros benefícios, como:

  • Maior produtividade: a autonomia facilita a comunicação e potencializa os resultados.
  • Mais autonomia: quando cada um veste a camisa de suas responsabilidades, mas sabe que sempre pode aprender com o outro, a autonomia transforma os processos corporativos.
  • Melhor alinhamento e entrosamento: integrar os squads é a chave para facilitar as trocas e a tomada de decisões, reduzindo desentendimentos e ruídos.
  • Entregas cada vez mais ágeis: essa é a definição da alta performance baseada na autonomia, o que agiliza e muito a realização das tarefas, o monitoramento e a eficiência do trabalho.
  • Colaboração além dos departamentos: a sintonia entre os membros de cada squad ultrapassa as barreiras das áreas porque vê na multidisciplinaridade o segredo para um trabalho híbrido, disruptivo e muito bem-sucedido.

 

Desperte o melhor do seu squad

Montar um squad 100% eficiente é descobrir o talento de cada colaborador para saber onde eles se encaixam melhor. Os times multidisciplinares vão estar alocados nos projetos focando sempre em resultados inovadores. A autonomia entra como ingrediente indispensável para que os squads possa definir prioridades e caminhos a serem trilhados, explorando o melhor do perfil intraempreendedor de cada profissional e descobrindo como o potencial, as habilidades e as experiências podem ser melhor combinadas em cada squad.

Vai lá e Faz: Intraempreendedorismo

O processo de formação de squads durante esse período de trabalho remoto ganha novos vieses, mas sem perder o foco na aplicação de metodologias ágeis e na confiança que sustenta a integração mesmo à distância. O desafio aqui é desenhar um esquema que funcione remotamente apostando na criatividade como a ‘cereja do bolo’. Dá sim para gerenciar, planejar e inovar direto do home office de cada profissional, escalando a capacidade de entrega de resultados, contando com a transformação digital para acelerar o processo aprimorar resultados. Se a cultura, os processos e as ferramentas estiverem sincronizados com o trabalho dos seus squads, não tem como dar errado! Para manter a agilidade com os squads remotos, invista em:

  • Daily meetings
  • Feedbacks semanais
  • Ferramentas de organização e monitoramento de atividades
  • Sprint planning
  • Estratégias de reconhecimento
  • Espírito de equipe
  • Transparência
  • Atividades extra-pauta para descontrair e engajar

E dá para mexer em squad que está ganhando sim! Ainda mais agora na realidade remota, a cultura da adaptação abre espaço para mais inovações, e o curso Vamo time ajuda a criar ambientes que inspiram a colaboração em squads cada vez mais unidos e preparados para celebrar as conquistas juntos. Desenvolvemos uma caixa de ferramentas que une metodologias ágeis, jogos do escotismo, toolbox da IDEO e processos pedagógicos, ensinando na prática diversas formatos para o mapeamento de seus principais problemas e possíveis soluções. Convoque seu squad e se joguem nessa experiência 🙂

Para conhecer tudo que a SPUTNiK oferece para sua empresa crescer exponencialmente, dá uma olhadinha em nossos cursos. Por aqui, a gente espera o seu alô!