SPUTNIK

O futuro da universidade corporativa: investir no capital humano é tendência que não sai de moda

Antes, durante e depois da pandemia, a importância da educação in company só vem crescendo, e sua empresa só ganha em acompanhar essa evolução! 

Mais do que focar no desenvolvimento do próprio negócio, a criação da universidade corporativa que tem tudo a ver com o seu time é, literalmente, um investimento certeiro não só no engajamento entre os profissionais, mas no lifelong learning que leva todos juntos ao sucesso coletivo. Afinal, toda organização é feita pelos profissionais que fazem parte dela, que impulsionam os negócios com ideias inovadoras e trocas de experiências valiosas. E na sua empresa, como isso acontece?

Vem descobrir neste post:

  • Conhecimento que vem de dentro
  • Uma universidade redefinida
  • Ensino in company “fora” da empresa
  • A tecnologia a seu favor
  • Liderando a mudança corporativa
  • O futuro do presente da educação corporativa

Conhecimento que vem de dentro

Quando a gente fala vem de dentro, o significado é muito mais amplo do que você pensa. O conhecimento que vem de dentro é, ao mesmo tempo, toda a bagagem de educação e experiências que cada profissional traz para a empresa, e a educação corporativa que a própria organização tem a oferecer. Nos dois lados, é tudo uma riqueza de informação que vem de dentro para transformar o mundo aqui fora. Para melhor.

Criar uma universidade corporativa é reter talentos porque os profissionais vão querer crescer junto com a sua empresa. É trazer os colaboradores para perto: uns dos outros e do sucesso da organização. É investir em capital humano e desenvolvimento pessoal, profissional, integral. Porque oferecer conhecimento é abrir portas para um aprendizado que acontece o tempo todo, ao longo da vida inteira.  As primeiras universidades corporativas foram criadas há mais de 60 anos como um lugar para os profissionais aprenderem em conjunto com a visão da empresa e os objetivos de negócios. Empresas multinacionais estão cada vez mais aderindo a esse esquema de ensino corporativo, mas isso não é de agora como os exemplos da McDonald’s Hamburger University, que abriu suas portas em 1961, a Disney University e a Motorola University que foram lançadas nos anos 70, o que transformou essas corporações não só em exemplos de como fazer ótimos negócios, mas lugares para onde se pode ir para aprender dentro do mundo dos negócios. 

Uma universidade redefinida

Não é mentira que, desde os anos 60, esse conceito de universidade corporativa vem evoluindo, e mais do que isso, vem sendo redefinido para se adequar a cada tipo de empresa, independente do porte. O que importa é a vontade de investir em algo que faça sentido para o seu time de colaboradores. Isso vai além de seguir modelos predefinidos ou engessar os métodos de aprendizado. Redefinir o ensino in company é construir uma metodologia que converse com o dia a dia da sua equipe, que resolva os problemas do seu negócio, e motive os seus profissionais. Uma verdadeira universidade corporativa vai além do treinamento e da educação para o desafio diário de obter resultados. Ela fornece liderança no apoio a pessoas e processos para alcançar o sucesso final para cada organização.

Todas as empresas precisam ter uma estrutura que forneça processos sistemáticos para promover sua organização por meio do crescimento do conhecimento, competências, habilidades e atitudes de seus colaboradores, e não tem fórmula pronta para isso. A educação corporativa vai trazer à tona o que seus colaboradores têm de melhor, afinal não só de técnica vivem os melhores talentos do mercado, concorda? É como se você estivesse tentando trazer o acadêmico para o mundo corporativo, e isso traz noções de um grande catálogo de cursos que os colaboradores, assim como os alunos, podem escolher. A empresa que cria uma universidade corporativa de valor é aquela que conhece de perto seu time e traz o conhecimento que faz diferença na atuação deles. Desde o início, as universidades corporativas têm evoluído para acompanhar as mudanças na tecnologia, nas necessidades dos alunos e nas próprias empresas e não tem como negar que uma das mudanças mais significativas é o aprendizado online.

A AT&T é uma boa referência de universidade in company. Criada em 2008 com a visão de impulsionar o alinhamento em toda a empresa de telecomunicações a partir de uma perspectiva de liderança, cultura e conhecimento, eles conseguiram não só alinhar as empresas que se uniram à AT&T por meio das fusões, mas as diversas culturas de trabalho dos colaboradores que se uniram nesse processo. Agora, eles usam a AT&T University como o impulsionador do programa de requalificação que ajuda a transformar o negócio para onde querem estar no futuro (que já começou!). E a universidade corporativa deles é para quem quiser aprender, não somente para os colaboradores, como o AT&T Summer Learning Academy, programa que visa promover um ambiente onde estudantes podem continuar crescendo, se preparando para a vida que começa depois da graduação tradicional.

Ensino in company “fora” da empresa

Todo mundo falando de educação corporativa, as universidades in company bombando, aí o que acontece? A pandemia chega.

É, tudo se revirou, saiu do lugar, transformando até a zona de conforto mais confortável em coisa do passado. Mas a verdade é que a pandemia nos ensinou muita coisa, inclusive que a educação corporativa à distância pode funcionar sim! O COVID-19 (que ainda está aí, #ficaemcasa genteee!) chegou para abalar as estruturas de tudo, e as empresas não ficariam de fora dessa que pode ser uma revolução. Para muito melhor.

Sai à frente quem consegue dar o primeiro passo virtual para manter as pessoas conectadas, aprendendo juntas, mesmo não estando fisicamente juntas. Como? Ah, mais uma vez, não espere uma fórmula mágica da SPUTNiK. Porque o que vai funcionar para trazer seus colaboradores para perto só a sua empresa vai poder dizer. A gente pode (e vai!) te ajudar a construir esse processo, disso você pode ter certeza viu! Mas o que parecia distante, fica próximo quando a sua universidade corporativa se adapta à nova realidade de quem faz parte dela. Se preocupar, por exemplo, com o que vai além do ensino, também é essencial. Algumas empresas estão fornecendo uma ajuda de custo para que seus colaboradores possam contratar uma internet mais veloz ou até mesmo para dar um help na conta de luz na nova era do home office. Outras criaram aulas online de ginástica laboral, meditação, reiki e muitas outras atividades para acompanhar de perto os times em momentos de estresse e burnout. Tudo isso mostra que a empresa se importa não só com a produtividade e as vendas, mas com o bem-estar e a saúde mental de todos.

A tecnologia a seu favor

O que vemos agora é uma grande mudança. A tecnologia está mudando toda a natureza do trabalho e do mundo. Mas à medida em que a natureza das universidades corporativas continua a mudar, elas ainda são necessárias para aquisição de talentos, integração, avaliações de desempenho, envolvimento dos funcionários e outros aspectos envolvidos com o crescimento do talento e atendimento às necessidades futuras da empresa. E a tecnologia é a aliada dos seus processos em cada etapa do aprendizado. As duas coisas mais importantes em uma empresa são suas pessoas e sua cultura, os dois fatores estão tão interligados que é difícil separar um do outro, e em tempos de trabalho remoto, é a tecnologia que vai manter todo mundo junto.

A universidade corporativa ideal hoje entende o negócio, os clientes e o talento da organização, e ajuda a fechar as lacunas que existem entre o que é e o que poderia ser para fornecer melhores serviços, produtos de melhor qualidade e uma força de trabalho mais engajada e capacitada, mesmo que a presença e o esforço físicos não seja possível por enquanto. Seja no ambiente virtual ou presencial (mas sempre real!), as universidades corporativas devem ser usadas como uma ferramenta estratégica com foco no desenvolvimento de pessoas e processos em uma verdadeira transformação organizacional, principalmente agora para se adaptar ao novo mercado pós-pandemia. Uma boa universidade corporativa sabe como ouvir e identificar problemas, apresentar soluções e responder às mudanças no ambiente da empresa em que opera, de um jeito integrado, híbrido e disruptivo. Sempre que você puder pegar o ambiente físico e torná-lo virtual, isso vai gerar muita velocidade e acessibilidade em qualquer empresa pelo mundo afora.

Liderando a mudança corporativa

A educação in company é feita por e para pessoas, e nesse processo é muito importante ter os líderes caminhando ao lado dos colaboradores para impulsionar essa mudança da cultura organizacional, que é outro propósito fundamental de uma universidade corporativa e só ganhou força no ensino que acontece agora à distância. Afinal, em um processo de ensino que investe cada vez mais no desenvolvimento de habilidades sociais e parceria com os colaboradores à medida em que as tecnologias e os negócios mudam, é uma liderança inovadora veio para ficar porque é o que motiva todo mundo a fazer acontecer.

Dentro do processo educacional, o líder consegue indicar aos colaboradores a melhor direção a seguir para chegar aonde todos querem estar: no topo do lifelong learning, que abre caminhos e mostra as melhores soluções possíveis. O futuro da universidade corporativa deve ser sobre a aplicação do conhecimento e a avaliação dessa aplicação por meio do aprendizado baseado em experiências pessoais, começando pelo líder que engaja, que inspira confiança, que é um convite ao desenvolvimento que começa no indivíduo e termina no coletivo. A maioria dos líderes de aprendizagem parece reconhecer que há algo simbólico em unir as pessoas, independente do tamanho, da geografia e do escopo do negócio. Não há mais limites para o compartilhamento de ótimas ideias e metodologias inovadoras!

Dicas sobre o que os líderes podem ajudar a implantar?

  • Experiência de aprendizagem contínua: a experiência de aprendizagem permite que os colaboradores pesquisem informações através de uma plataforma inteligente, com conteúdo dinâmico e que se relacione com o tipo de trabalho que eles realizam.
  • Sistema de feedback: ouvir e entregar feedback pode deixar a educação in company ainda mais completa e valiosa. Abra espaço para sugestões, críticas, inovações e tudo mais que possa fazer o ensino evoluir junto com as pessoas!
  • Informação em várias vertentes: a tecnologia permite reinventar a forma como aprendemos e ensinamos, então encontrar maneiras distintas de entregar o conteúdo deixa tudo mais dinâmico, engajador e muito mais interessante. 

O futuro do presente da educação corporativa

A universidade corporativa só se tornará cada vez mais importante porque já se tornou, faz tempo, em uma vantagem competitiva das empresas que já chegaram, hoje, no futuro. À medida em que você desenvolve seus colaboradores, eles são boas perspectivas para a concorrência. Isso força a empresa a ser o empregador com o qual esses indivíduos de alto desempenho desejam permanecer. E isso não há investimento que pague!

Por isso a SPUTNiK acredita na universidade corporativa como um asset que não sai mais de moda, é tendência que não acaba, é conhecimento que fica. Vale trazer aqui mais exemplos de que esse investimento vale a pena. De acordo com o ranking das 10 melhores universidades corporativas do mundo, quem lidera é a GE’s Crotonville/NY, que aposta no treinamento e desenvolvimento dos líderes de hoje com os líderes do futuro, focando sempre na inovação e na inspiração como fatores de motivação.

“A GE tem sido uma força motriz no desenvolvimento de liderança global por mais de um século. É aqui que a história é feita. É aqui que os líderes são feitos.” 
– Raghu Krishnamoorthy, ex-vice-presidente, executivo de desenvolvimento e diretor de aprendizagem

Para criar o ambiente de treinamento mais realista possível, a JetBlue University oferece soluções de aprendizagem combinada para membros da tripulação, utilizando uma combinação de treinamento conduzido por instrutor, eLearning e aprendizagem autodirigida. É a oportunidade de ver o que torna a JetBlue Airways tão bem-sucedida na criação de uma cultura unificada, que gera a fidelidade do cliente e a satisfação do funcionário. E não ache que isso é possível apenas para as grandes empresas não, a SPUTNiK tem clientes de todos os portes que são cases de sucesso na criação de universidades corporativas, como o Grupo Boticário e a B3

E estamos prontos para incluir a sua empresa no portfolio de educação in company que é a própria revolução dentro e fora da organização, só vem!

O presente das empresas do futuro