SPUTNIK

É preciso repensar treinamentos corporativos durante trabalho remoto

Não teve como não sair do lugar desde que o COVID-19 chegou aí, sem avisar, abalando as estruturas de qualquer pessoa e de todas as empresas. Muita coisa precisou ser reavaliada, rotinas repensadas, processos abandonados para serem criados de novo. E como ficou o treinamento corporativo, que faz parte desse processo de educação disruptiva que as organizações do futuro adotaram? A gente traz algumas boas notícias neste post (e um material bem completo para você baixar no fim).

Com o pé no acelerador

Estar conectado o tempo todo passou a ser, para muitos, sinônimo de trabalhar 24/7. A pandemia chegou sem aviso prévio, derrubando (ou levantando!) tudo ao redor. E, para começar a falar sobre transformação, é interessante trazer alguns dados:

  • Uma pesquisa da McKinsey revelou que a velocidade organizacional é um ingrediente essencial para um desempenho superior em um período de mudanças inéditas, e que tomar decisões táticas que mudam a direção estratégica de uma empresa passou a ser vantagem competitiva para sobreviver no mercado.
  • Adiantando mudanças no universo do trabalho, algumas tendências chegaram para ficar, como a criação de novos esquemas de compartilhamento de trabalho que sejam flexíveis e adaptáveis; profissionais mais híbridos e que nunca param de aprender (eu ouvi lifelong learning?!); o aumento do engajamento digital sob a ótica da produtividade mesmo trabalhando sem o contato humano; e mudanças no processo de seleção de funcionários, valorizando ainda mais as tão famosas soft skills.

Ou seja: tentar fugir essas mudanças só vai atrasar um processo inevitável. 

Treinar é estar preparado

A melhor solução é tirar da transformação novos caminhos para colocar o seu time na direção certa. E isso inclui desde a adaptação da sua cultura organizacional, passando pelos novos processos de trabalho, até chegar no aprendizado corporativo. Tudo mudando e sendo adaptado à realidade ao mesmo tempo. 

É exatamente o que chamávamos de “o futuro do trabalho” há não muito tempo atrás. Toda a estratégia de treinamento corporativo precisou ser repensada e, até mesmo antes da crise se instalar, empresas inteligentes já faziam “perguntas difíceis” que pudessem preparar os seus colaboradores para enfrentar cenários nunca antes imaginados. 

E se você considerar que algumas das competências de gerenciamento mais importantes são melhor ensinadas e aprendidas pessoalmente, como continuar com o ensino quando estamos tão distantes? É aí que entra o mindset de conexão, para seguir interligando os profissionais que buscam desenvolver habilidades interpessoais, inteligência emocional e a capacidade de envolver e influenciar os outros, com quem está disposto a ensinar, a trocar experiências, a crescer junto.

“Antes, se você tinha mestrado ou doutorado, já seria contratado. Hoje está sendo muito valorizado o que chamam de continuous learning (educação continuada), que é o conceito de você estar sempre aprendendo e fazendo vários cursos, oferecidos pela empresa ou relacionados à área de atuação.” – Ronaldo Fleury, subprocurador-geral do Trabalho, em entrevista à BBC News Brasil

 

Treinamentos via multiplataformas

Não dá mais para esperar tudo voltar ao “normal” (isso já existiu, produção?) para se adaptar: os departamentos de RH e treinamento devem ser mais criativos do que nunca. Tornou-se um desafio para o RH melhorar a performance dos times descobrindo o que funciona para cada perfil profissional e como manter a faísca da educação in company acesa mesmo quando a desmotivação ronda o dia a dia de cada um. 

As organizações que saem na frente são aquelas que investem ativamente em seus colaboradores, incluindo em novas habilidades para liderar e permanecer resilientes durante a pandemia.  A saída pode ser a implantação de metodologias personalizadas dentro da universidade corporativa (ainda não tem uma para chamar de sua?), explorando ferramentas, softwares e apps que podem deixar os seus profissionais conectados dentro e fora da rotina de trabalho. O que não pode faltar é conteúdo que tenha a cara da sua empresa e tudo a ver com o que os seus talentos querem aprender!

Sobre esse tema, aliás, vale a pena assistir essa aula rápida que a nossa CEO, Mariana Achutti, deu sobre trabalhar as habilidades do agora na universidade corporativa:

Achou que a gente esqueceu do material incrível que prometemos lá no início? A SPUTNiK fez um estudo sobre como a pandemia acelerou a educação corporativa, e a trazemos desde dados surpreendentes sobre o que muda no ambiente de trabalho até novos movimentos que passam a agitar o mercado, se transformando em vantagens competitivas para se destacar da concorrência e reter os melhores talentos. A sua empresa pode não só aprender com esse ebook, mas espalhar para o time todo a vontade de fazer o conhecimento circular digital e presencialmente, num passe acelerado, porque aprender é algo que vírus nenhum pode atrapalhar!

O presente das empresas do futuro