SPUTNIK

Learning experience: a sua empresa também pode ser especialista em educação disruptiva!

Não tem nada melhor do que aprender o tempo todo, e essa metodologia chegou para transformar o que você entendia como educação até pouco tempo atrás

O aprendizado não cabe mais só dentro da sala de aula. Ele é uma jornada que começa desde cedo e continua ao longo da vida, todo dia, o tempo todo. Por isso, a SPUTNiK acredita que não existe nada mais potente do que a educação para transformar o universo corporativo. Um ensino que é híbrido, disruptivo e compartilhado, em uma experiência completa que só fica melhor com o tempo. 

O que o seu time aprendeu hoje?

Você vai aprender neste post:

  • Aprender é uma jornada e tanto!
  • Conteúdo vivo e mutante
  • 1 + 1 são muitos!
  • Um conteúdo que é só seu
  • A prática é amiga da perfeição
  • Saia dessa caixa!

Aprender é uma jornada e tanto!

Já faz tempo que a sala de aula ficou pequena para o aprendizado. Aliás, a educação vem transpondo não apenas essas paredes, mas as barreiras de muitas empresas que tinham um mindset não tão aberto assim. A educação in company vem se tornando, cada vez mais, uma vantagem competitiva importante não só para a empresa reter os melhores talentos, mas para fomentá-los, crescendo junto com cada profissional. É importante estar atento a tudo: o que aprendemos com os outros, o que tiramos das nossas experiências diárias, o que lemos, como interagimos com um mundo tão conectado – mas que se desconecta também quando não estamos conscientes dos prós e contras da tecnologia. Quer um exemplo? O neurocientista Michel Desmurget apresenta dados que comprovam: o uso insano de dispositivos digitais está afetando seriamente o desenvolvimento neural de crianças e jovens, que registram QI inferior ao dos pais pela primeira vez na história por estarem imersos no mundo digital, esquecendo a vida aqui fora…

“O cérebro não é um órgão estável. Suas características ‘finais’ dependem da nossa experiência. O mundo em que vivemos, os desafios que enfrentamos, modificam tanto a estrutura quanto o seu funcionamento, e algumas regiões do cérebro se especializam, algumas redes são criadas e fortalecidas, outras se perdem, algumas se tornam mais densas e outras mais finas.” – Michel Desmurget

Isso não quer dizer que a revolução digital deve ser interrompida, mas sim que o aprendizado não acontece apenas no mundo virtual. A diminuição do QI dessas crianças acontece, provavelmente, por causa da diminuição da interação delas com suas famílias, o que é extremamente essencial para o desenvolvimento emocional, sem falar na melhoria das soft skills ligadas aos relacionamentos interpessoais. Sim, a convivência com as pessoas e a troca de experiências nos ensina tanto que nenhum livro é capaz de abrir concorrência. Isso é a essência (e a beleza!) do que chamamos de learning experience: uma jornada rica, motivadora, híbrida e que vai se complementando a cada dia que a gente decide sair da cama e aproveitar tudo que o mundo tem a ensinar.

 

Conteúdo vivo e mutante

Somos todos alunos. Você nasce, mas começa a aprender antes mesmo de chegar a esse mundo. E quando chega aqui, ah… o processo fica cada vez mais interessante e transformador! A experiência de um aluno deixou de ser binária girando apenas em torno do que o conteúdo que está sendo transmitido. A experiência do aprendizado é sobre como, quando, onde e por quê o aluno decide interagir com esse conteúdo e, na verdade, tirar dali o que faz sentido para ele. É como se a gente expandisse o que lemos, vemos, escutamos, transformando o conteúdo em algo vivo, pulsante. O indivíduo vai absorver aquilo e converter em envolvimento, colaboração, indo de encontro com o que ele já sabe e com o que ele ainda desconhece. O learning experience é sobre a jornada incrível que esse aluno constrói, escrevendo com suas próprias histórias, aprimorando aquele conteúdo com o que ele traz em sua bagagem de vida. 

Quem está em um processo de aprendizagem (como todos nós!) sabe não apenas reconhecer a necessidade de aprender algo novo, mas de desenvolver novas habilidades a partir do que viu, interagindo com o conteúdo, que se torna vivo de uma forma diferente para cada um. Dentro de uma empresa ou dentro de uma escola, é a troca entre as pessoas que vai ensinar, que vai abrir novos caminhos a serem percorridos, que vai mostrar que sim, todo processo de aprendizagem pode e deve evoluir a todo instante. Porque é adaptável, é híbrido e flexível porque é do ser humano se transformar o tempo todo. Porque conteúdo é tanto o que você consome quanto o que você mesmo produz, estando sozinho, perto ou longe do outro, usando a tecnologia como ferramenta que aproxima mas, de novo, não como a única fonte de novos aprendizados.

1 + 1 são muitos!

É exatamente o resumo do que acabamos de dizer: você aprende de todo jeito, sem parar. Sozinho, aprende com o que já viveu, com os erros e acertos, com o que ainda quer conquistar. Quando nós interagimos com outras pessoas, é impressionante como os horizontes podem se expandir: a troca é a chave do aprendizado para quem escolhe caminhar lado a lado. E tem o que podemos chamar de blended: todo mundo aprendendo junto e misturado, cada um trazendo seus aprendizados pessoais para o processo. E essa coisa do blended vale também para as plataformas e ferramentas utilizadas na educação disruptiva focada no lifelong learning.

“A ideia de ser um aprendiz ao longo da vida é fundamental para que estejamos preparados a nos transformar constantemente, junto com essa transformação sem fim em todos os âmbitos da vida no século XXI.”  – Andréia Matos

 

É sobre sair da sua zona de conforto para aprender dentro e fora da empresa, e a metodologia da SPUTNiK, criada com exclusividade pela Perestroika, é um blend do lifelong learning com tudo o que os profissionais podem acrescentar, e ainda usando a tecnologia a favor do conhecimento disruptivo. Essa metodologia híbrida que é, ao mesmo tempo, um convite a um novo jeito de aprender e uma resposta ao que os novos profissionais e empresas do futuro buscam, está ajudando muitas organizações a revolucionar suas universidades corporativas apostando em um processo 100% focado na experiência, que é contínua, divertida, inovadora e faz sentido para cada equipe. Por falar nisso, esse é um ponto que merece destaque nesse tema.

Um conteúdo que é só seu

Cada equipe é de um jeito, tem pessoas diferentes e perfis distintos (e isso só deixa o processo ainda mais bacana!). E se ninguém é igual, porque a metodologia de ensino deveria ser?

Pessoas são feitas de pura inspiração, cada uma com seu background, ideais, aspirações e objetivos. Mas se a gente está falando sobre a educação in company, a learning experience nasce de um objetivo em comum: aprender uns com os outros através de uma metodologia preparada para provocar mudanças nesse grupo, e esse grupo ser responsável pela transformação que a empresa busca. Se antes da pandemia éramos flexíveis, teremos agora que, em um mundo renovado, aprender a ser ainda mais elásticos para se adaptar, para combinar habilidades que vão passar a ser essenciais e desaprender outras que perderam sua função. Nosso mundo está mudando mais rápido do que nunca, acelerado pela digitalização de tudo. Nossas interações com o mundo nos moldam e, em troca, moldamos o nosso mundo particular. Como resultado, nossas expectativas mudam e procuramos maneiras novas, mais rápidas, mais baratas, mais inteligentes e melhores de satisfazer nossas necessidades e desejos. Intencionalmente ou não, o resultado é experiência. Mas o que isso significa na prática?

Tendo o lifelong learning como core, a nossa metodologia foi pensada para que todo mundo saia ganhando, e quando a gente diz todos é porque o que é bom não tem que ser segredo para ninguém. A gente quer sim levar a nossa Experience Learning para a sua empresa para que seus colaboradores tenham uma experiência leve e intensa com esse novo jeito de aprender. Mas você e sua equipe podem já começar a revolucionar o aprendizado por aí porque a nossa metodologia está disponibilizada no formato open source para compartilhar o que a gente sabe pelos quatro cantos. É ou não é incrível?

A prática é amiga da perfeição

Todos nós já tivemos aquela sensação de que, em algum momento da vida, não importa o quanto estudamos algo, simplesmente não entra na nossa cabeça. Mas por que isso? São muitas as razões, desde ter estudado muito e praticado pouco, ou ter aprendido demais em só uma sessão e a informação virou um amontoado no cérebro. A aprendizagem e a memória estão inexplicavelmente ligadas, e para codificar e armazenar novas ideias na memória de longo prazo, precisamos encontrá-las e usá-las muitas vezes, em várias situações da vida real. E a maioria das experiências e cursos de aprendizagem simplesmente não oferecem prática suficiente.

Uma vez que o conhecimento é assimilado na memória de longo prazo, podemos recuperá-lo e conectá-lo a novos conteúdos, contextos ou problemas – e isso só aprimora o processo de aprendizagem. Ter um estoque de conhecimento na memória de longo prazo significa que a capacidade e a atenção da memória de trabalho podem ser liberadas para processar coisas novas, o que é extremamente importante para gerenciar a carga cognitiva, que não fica sobrecarregada rapidamente. A palavra aprendizagem é frequentemente usada para se referir ao conhecimento ‘do que fazer’, mas também existe o conhecimento do como fazer algo que, combinados, contribuem para o desenvolvimento de habilidades complexas. Para uma experiência de aprendizagem, é importante saber qual é exatamente o foco do ensino e escolher métodos e tarefas de aprendizagem que são um match perfeito. Por isso estudar não é o mesmo que praticar: quanto mais a sua metodologia mistura os dois de forma equilibrada, sempre incluindo o feedback dentro do processo como elemento crucial, mais ela é efetiva.

Saia dessa caixa!

Uma educação customizada parecia uma utopia se pensarmos em quando estávamos confinados nas salas da escola, só ouvindo o que o professor tinha a dizer (e que na maioria das vezes você nem se lembrava quando colocava o pé para fora daquela caixa!). E sair da caixa é, hoje, o que a learning experience te convida a fazer: queremos ter experiências autênticas, diferentes e que tenham a nossa cara. Queremos algo que foi desenhado para fazer sentido no nosso dia a dia de trabalho, que por si só já é um aprendizado e tanto. Por isso gostamos de dizer que a educação híbrida existe para ser uma bússola que indica o rumo ao conhecimento que está mesclado com o jeito que experimentamos o mundo (aqui fora e bem aí, dentro de você!). Chega de se entediar com uma aula, que pode ser bem mais interessante quando estimula a troca, o acesso a ferramentas criativas, é personalizada e, o mais importante de tudo, conecta a tecnologia humana com a digital <3

Para nós, a interatividade, a flexibilidade e a colaboração são pilares dessa learning experience que acontece em qualquer lugar. Em tempos de trabalho presencial (oh saudade!) ou de home office, o ensino não para de acontecer porque é construído para ser flexível para que os profissionais, onde quer que estejam, possam absorver o melhor do conteúdo. Os alunos precisam ter total liberdade de colaborar, interagir, propor e construir algo novo com os professores, facilitadores e os outros profissionais que caminham juntos. 

A SPUTNiK quer levar para dentro da sua empresa (mesmo que agora ela seja a casa dos colaboradores) ferramentas que funcionam na realidade e no universo virtual, com cursos formulados para se encaixar no momento em que a sua empresa está. Se o foco são as soft skills, temos soluções de Walk The Talk até o Novo Norhmal, passando pela regeneração da cultura empresarial, criatividade e inovação, saúde mental no trabalho e a volatilidade de tempos incertos. Se fortalecer o time é a bola da vez, dá para convidar todo mundo para pôr a mão na massa, movimentar o corpo e ganhar junto. E se quiser iniciar a discussão sobre o que o futuro traz para a empresa e para quem faz parte dela, nada melhor do que transformar mindsets e paradigmas. A learning experience só não pode parar!

O presente das empresas do futuro