SPUTNIK

Governança ambiental, social e corporativa: entenda o que é o ESG

Super em alta no mercado, o termo ESG tem sido utilizado como um sinônimo para boas práticas sociais, ambientais e de governança e está se tornando um objetivo para muitos negócios.

A sigla vem do inglês “Environmental, Social and Governance” e se tornou uma forma de definir o quanto uma empresa se preocupa com as pessoas e adota boas práticas corporativas, bem como o quanto ela está se empenhando para minimizar os seus impactos ambientais.

Afinal, quem não quer ser reconhecido por apoiar a sustentabilidade, cuidar do meio ambiente, promover a redução de impactos sociais e adotar uma conduta corporativa pautada na ética?

Pois é! Ser ESG é a tendência do momento. E sua empresa? Já faz ou quer fazer parte disso? 

Então, vem com a gente 🙂

Mas, afinal, o que é ESG na prática?

Para ser ESG, sua empresa precisa, primeiro, seguir alguns preceitos.

Tudo deve começar pela preservação do planeta (E), com iniciativas que ajudem a proteger e ampliar os recursos naturais, reduzindo a emissão de poluentes e cuidando do meio-ambiente.

Nessa etapa, ainda é preciso adotar práticas corporativas realmente voltadas à sustentabilidade e à preservação do meio ambiente, como a gestão de resíduos e o reflorestamento.

Depois, é necessário ter engajamento com a sociedade (S), o que envolve desde políticas de inclusão e diversidade no ambiente de trabalho até projetos para reduzir a desigualdade social.

De forma resumida, o S está relacionado à responsabilidade social, aos direitos humanos, às leis trabalhistas, à comunidade, à diversidade da equipe e à segurança no trabalho.

Por último, a empresa também deve cuidar dos processos corporativos (G), sendo ética, garantindo a transparência e investindo em mecanismos para acabar com a corrupção.

Aqui, a empresa precisa atender detalhes com a conduta corporativa, a proteção dos dados, a composição do conselho, a existência de um canal de denúncias, as auditorias constantes etc.

E por que minha empresa deveria investir em ESG?

Nos últimos anos, o impacto corporativo no meio ambiente e na comunidade ficou ainda mais evidente. Hoje, os pedidos por inclusão, diversidade e sustentabilidade são constantes.

No entanto, o ESG não influencia apenas as pessoas e os consumidores finais, mas também o mercado financeiro como um todo já que os pilares desse conceito passaram a ser fundamentais nas análises de riscos e na tomada de decisões para investimentos.

Um exemplo disso é o Índice de Sustentabilidade Empresarial (ISE B3), que mede o desempenho das empresas pelo seu comprometimento com a sustentabilidade empresarial. Também vale ressaltar que o ISE B3 é uma das bases mais importantes para investidores tomarem decisões.

Por fim, é importante ressaltar que as práticas de “Environmental, Social and Governance” trazem inúmeras oportunidades para as empresas. Pois, além de mitigar riscos e gerar valor a longo prazo, elas também permitem integrar ações sociais com as estratégias corporativas, melhorando a governança e favorecendo a comunicação entre todos os envolvidos.

No entanto, no Brasil, essas medidas ainda estão engatinhando e quanto mais cedo sua empresa se posicionar, mais destaque ela poderá ter em um futuro próximo. 

Para se ter uma ideia, de acordo com a avaliação do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), a pontuação das empresas de capital fechado sobre a adoção de programas de ESG e governança corporativa é, em média, de 34,6 em uma escala de até 100.

Mas por onde começar?

Para te ajudar, criamos uma jornada para ampliar a visão das lideranças sobre esse tema. 

Ao longo dessa jornada compartilhada, vamos mostrar como criar uma cultura centrada no impacto positivo ao meio ambiente e a sociedade, além de apresentar um método para apoiar os líderes no desenvolvimento efetivo da pauta ESG. Mesclando prática com teoria.

Aqui, as lideranças serão provocadas para saírem do piloto automático em temas como sustentabilidade, mudanças climáticas, justiça social, governança, diversidade e inclusão.

Por fim, os gestores vão compreender a aplicabilidade dos critérios ESG e como eles podem aumentar a competitividade, fortalecer a reputação e promover a inovação da companhia.

Afinal,  estamos aqui para te ajudar a fazer uma verdadeira revolução no mercado.

Então, chega mais e vamos juntos!  🙂

O presente das empresas do futuro