SPUTNIK

A geração Z como propulsora dos investimentos em ESG

Os dados não mentem: a geração Z é uma geração cada vez mais consciente, antenada e participativa. 

Pelo menos é isso que revela um estudo do Bank of America, realizado em 2020 com cerca de 14.000 pessoas nascidas entre 1996 e 2016. De acordo com essa pesquisa, 80% dos participantes disseram levar em consideração os princípios ESG na hora de comprar produtos e/ou fazer seus investimentos. 

O termo ESG vem do inglês “Environmental, Social and Governance” e se tornou uma forma de definir o quanto uma empresa se preocupa com as pessoas e adota boas práticas corporativas, bem como o quanto ela está empenhada em minimizar os seus impactos ambientais e reduzir a desigualdade como um todo.

Mas qual é de fato a relação entre a geração Z e os investimentos ESG

Vem que a gente conta! 🙂

As convicções da Geração Z

Com um movimento comandado pela geração Z, o consumo desenfreado está saindo de moda e dando espaço à sustentabilidade e a um aproveitamento mais responsável de recursos e insumos. 

De acordo com a pesquisa do Bank of America (BofA), essa geração está mais preocupada com a experiência do que com o produto, valorizando coisas como viagens em detrimento de bens materiais. Além disso, os investimentos impulsionados por essa geração envolvem, entre outras coisas, o comércio eletrônico, a entrega de alimentos veganos, as telecomunicações, os produtos para pets e até mesmo o e-sports.  

Nesse sentido, o investimento sustentável com foco em fatores ambientais, sociais e de governança (ESG) ganham cada vez mais relevância entre os Zilennials. “A revolução da geração Z está começando. A primeira geração nascida em um mundo online agora entra na força de trabalho e obriga outras gerações a se adaptarem a ela, e não vice-versa”, disseram os estrategistas do BofA em seu relatório.

Esse contexto vai demandar dos investidores, dos executivos e das empresas uma profunda reflexão nas estratégias empresariais, observando as tendências e os novos modelos de negócio.

Os investimentos ESG com uma tendência para o futuro

Segundo a Climate Bonds Iniciative, os fundos verdes em todo o mundo alcançaram a marca dos US$ 400 bilhões em 2021, quase o dobro do recorde registrado em 2020, de US$ 270 bilhões. 

E, desse valor, cerca de US$ 54 bilhões foram investidos em fundos ESG.

Isso porque os fundos ESG estão bombando e devem seguir como tendência para os próximos anos.  Afinal, as pequenas e as grandes corporações já perceberam a oportunidade de colaborar ativamente com a sociedade, atuando de forma preventiva para minimizar a crise climática e as desigualdades sociais.

Por isso, aqui vai uma dica amiga: fundos verdes são uma excelente opção para diversificar seu portfólio de investimentos, aumentando os seus ganhos e ajudando a gerenciar seus riscos. 

E não adianta olhar para índices ESG sem transformar a percepção de quem está à frente dos processos e dos negócios. Pensando nisso, criamos uma jornada para ampliar a visão das lideranças sobre o tema.

Ao longo da trajetória, vamos mostrar como criar uma cultura centrada no impacto ao meio ambiente e na sociedade, antecipando questões emergentes e apoiando os líderes no desenvolvimento da pauta ESG.

E então, vamos juntos construir esse futuro? 🙂

O presente das empresas do futuro